em paz!

Se um dia você voltar… Não que eu esteja te esperando, mas vai que você resolva voltar… Eu queria que me encontrasse assim, como estou hoje: em paz! Não, o meu amor por você ainda não morreu. Não, eu ainda não me acostumei com a sua ausência. Não, eu ainda não me convenci de que sem você a minha vida fica melhor. Mas eu aceitei o fato de, nesse momento, termos que seguir assim: em estradas que se aproximam, se esbarram, mas não se cruzam…

Indagações numa noite de quarta-feira

Talvez eu tenha aprendido muito pouco e a vida insiste em me mostrar que não é esse o jeito, não é essa a intensidade. Talvez eu tenha tentado, sempre e muito, mas da maneira errada. Talvez eu ainda precise deixar desabrochar esse tanto que continua aqui, encolhido, adormecido, entalado. Talvez…

recomeço

Hoje me lembrei de você, de quando te conheci e de quando te re-conheci num passado mais recente. Lembrei de como a sua chegada na minha vida trouxe brilho e cores pros meus dias. Lembrei das taquicardias, do sono mais leve, dos risos fáceis. Lembrei dos momentos todos que foram nossos. Das pequenas descobertas, das conversas, da amizade e do amor. Lembrei de como era bom recostar minha cabeça no seu ombro antes de dormir. De como era bom acordar e te saber ali, tão perto. Lembrei dos planos que fiz pra nós e que não deu tempo de realizar. Lembrei da minha vontade de fazer com que desse certo e fosse pra sempre. Lembrei das tentativas. Da compreensão, do diálogo, do meu constante cuidado em não deixar que tudo aquilo, construído com carinho, se perdesse numa curva qualquer. Lembrei de como eu queria que dessa vez a história não tivesse um fim. Lembrei de você, daquele que chegou com o coração aberto, com a franqueza e a certeza. Lembrei de tudo que agora não é mais. Lembrei de quando não havia esse silêncio e esse vazio. Lembrei e me obriguei a esquecer. Porque é assim que tem que ser… Embora eu não quisesse.

 

quando não há nada a dizer…

 

 

Das verdades mais lindas

“Tentaram me fazer acreditar que o amor não existe e que sonhos estão fora de moda. Cavaram um buraco bem fundo e tentaram enterrar todos os meus desejos, um a um, como fizeram com os deles. Mas como menina-teimosa que sou, ainda insisto em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim. A manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes. Porque aprendi, que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. Dá sempre pra tirar um coelho da cartola. E lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meio burras, tentar acertar os passos. Sem me preocupar se a próxima etapa será o tombo ou o voo. Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado. Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço.”

Caio Fernando Abreu

Sempre em frente

É preciso desaprender o velho caminho, deixar para trás as convicções já enferrujadas, abrir mão de certezas que perderam a validade. Porque o passado deve servir de pano de fundo, mas não pode tirar o brilho do que se pretende viver agora. Porque o que já foi vivido não necessariamente precisa voltar em replay. Porque as escolhas que fazemos hoje nos conduzem a estradas inéditas, que só podem ser percorridas se tivermos coragem de descalçar os sapatos desgastados pelo tempo. A vida é de se experimentar! Quem vive debruçado no passado, recolhendo lembranças, perde a chance de abraçar a beleza do presente. Quem caminha olhando pra trás, tropeça. E desperdiça a sorte de merecer o novo que, invariavelmente, vem em sua direção…

Caio Fernando Abreu

 

“Não importa quanto vai durar…

É infinito agora.”